Ads Top

Qual é a gravidade máxima em que conseguiríamos sobreviver?

maxgrav
Este é uma concepção artística de Kepler 62f, um planeta considerado como uma Super-Terra, onde seu tamanho é estimado em cerca de 40% maior do que nosso planeta.

Se desejamos colonizar outro mundo, encontrar um planeta com um campo gravitacional que nós 
humanos possamos sobreviver e prosperar será um aspecto crucial. Se a gravidade for muito forte, nosso sangue ficará em nossas pernas, nossos ossos podem partir e dependendo poderemos até ser amassados no chão.

Então, encontrar o limite que nossos corpos podem suportar é algo muito melhor de se fazer antes de pousarmos em um planeta com mais massa do que a Terra. Enquanto isso, um grupo de 3 físicos publicaram um artigo onde eles apontam que a gravidade máxima que poderíamos suportar gira em torno de 3 a 4 vezes a gravidade da Terra. 

Isso se você for aquele maromba do Game of Thrones. Mas para seres humanos normais, a gravidade teria que ser menor ainda.

Para descobrir a maior força gravitacional em que um humano poderia suportar, Nikola Poljak, da Universidade de Zagreb, na Croácia, e seus colegas de pesquisa calcularam pela primeira vez a resistência à compressão de um osso humano. Com base em um osso médio de mamíferos, eles estimaram que um esqueleto humano poderia suportar uma força gravitacional de mais de 90 vezes a gravidade da Terra. Mas é quando não estivesse em movimento. Uma vez que começamos a correr, o estresse em nossos ossos - à medida que se flexionam - aumenta dez vezes. Isso significa que poderíamos correr em um planeta com um campo gravitacional em torno de dez vezes o da Terra antes que nossos ossos começassem a se partir.

Agora para a gravidade máxima onde poderíamos dar um simples passo, a equipe voltou-se para Hafor Júlio Björnsson, um islandês muito forte que uma vez subiu cinco degraus com uma tora de 1430 libras (648 kg!) nas costas, quebrando, assim, um recorde de mil anos.

Poljak diz que a proeza de Björnsson é um bom comparativo, porque a carga sobre as pernas e os músculos em um forte campo gravitacional parece muito com um peso grande sobre os ombros.

Com base no peso de Björnsson, Poljak estima que um homem forte ainda seria capaz de dar alguns passos em um exoplaneta com um campo gravitacional em torno de 4,6 vezes o nosso. 

Fonte: Astronomy.com

Tradução: Diogo Furlan [@difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.