Ads Top

Nosso vizinho estelar - Proxima b - pode ter um planeta irmão


O planeta Proxima b pode não estar solitário em seu sistema solar. 

O anúncio de Proxima Centauri b realizado em 2016 foi um momento decisivo na pesquisa sobre exoplanetas. Pesquisadores encontraram um planeta rochoso e potencialmente habitável, como também orbitando a estrela mais próxima da Terra. Isso significa que pode ser um dos sistemas mais fáceis de ser estudado usando os telescópios que serão lançados no futuro. 

Agora, pesquisadores estão observando sinais promissores que sugerem a existência de mais um planeta habitando esse sistema solar.

De fato, o tal companheiro planetário já havia sido foi sugerido em resultados iniciais que foram publicados na Nature em 2016, mas o sinal era de má qualidade. "Um segundo sinal na faixa de 60-500 d também foi detectado, mas sua natureza ainda não é clara devido à atividade estelar e a uma amostragem inadequada", afirmou o artigo.

Uma publicação no site do Projeto Red Dots - feita por Mikko Tuomi - se aprofunda no assunto sobre essa detecção. O planeta demoraria cerca de 83 dias para dar uma volta ao redor da estrela. Com essa órbita, o planeta estaria longe, muito além da zona habitável. A estimativa atual é que o planeta tenha cerca de 3.3 massas terrestres, tornando-se um grande corpo rochoso, se sua existência for confirmada.

O projeto Red Dots foi iniciado recentemente, tornando-se uma extensão do Projeto Pale Red Dot, que encontrou Proxima b. Enquanto o projeto ainda pesquisa no sistema Proxima Centauri, ele também está procurando por planetas em torno de Ross 154 e ao redor da Estrela de Barnard, duas pequenas estrelas próximas do Sistema Solar. De 1963 a 1973, acreditava-se que a Estrela de Barnard tinha pelo menos um planeta ao seu redor, mas as observações subsequentes determinaram que ao menos gigantes gasosos não habitam ali. 

Pode dar um pouco de trabalho para encontrarem Proxima Centauri c. Vendo de nossa perspectiva, Proxima b não passa em frente de sua estrela. Assim, os pesquisadores têm que confiar no método de velocidade radial, que busca mudanças sutis no espectro da estrela e relacioná-lo a um planeta. Mas se Proxima c vier a existir, pode-se abrir a porta para que outros planetas possam estar espreitando a órbita dessa, como também de outras estrelas vizinhas.



[Tradução: Diogo Furlan - no Facebook/Instagram como: @difurlan1]








Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.