Ads Top

Anãs marrons são tão abundantes quanto as estrelas


Você pode detectar as anãs marrons? Esta imagem de RCW 38 mostra várias candidatas a anãs marrons encontradas em um estudo recente, o que sugere que pode haver tantas estrelas fracassadas quanto as que são bem sucedidas na Via Láctea.

Parece que, para cada estrela que nasce, pode haver uma estrela fracassada, melhor conhecidas como anãs marrons.

Um estudo recente de pesquisadores da Universidade de Toronto descobriu que a Via Láctea pode ser o lar de 100 bilhões de anãs marrons - o que corresponde à contagem projetada de 100 bilhões de estrelas em nossa galáxia.

Uma anã marrom tem esse predicado porque nunca se tornará uma estrela que funde hidrogênio em hélio, que é o mecanismo que liga o "motor" do que conhecemos como estrelas. Em vez disso, anãs marrons fundem o hidrogênio em isótopos mais pesados ​​como o deutério. Esses corpos celestes geralmente são objetos gasosos com cerca de 13 vezes a massa de Júpiter ou mais, sendo classificados como estrelas ao invés de planetas. (A maioria dos planetas começa como um corpo rochoso antes incorporar uma camada gasosa.)

Pesquisadores realizaram um estudo extenso a respeito de RCW 38, um aglomerado de formação de estrelas ultra-denso, a cerca de 5.500 anos-luz de distância do Sistema Solar. A maioria das estrelas que se formam nessa região tem uma vida breve, pois concentram uma grande quantidade de massa e morrem jovens em uma explosão chamada supernova. Mas dentro do aglomerado, pesquisadores encontraram a mesma proporção de anãs marrons que em outros cinco aglomerados pesquisados em 2006, que não têm as mesmas condições extremas que RCW 38. Em outras palavras, parece haver uma distribuição bastante uniforme de anãs marrons através da galáxia, independentemente do meio em que estão. 

"Nós encontramos muitas anãs marrons nesses aglomerados. Seja qual for o tipo de aglomerado, anãs marrons são estrelas comuns", disse Alex Scholz, astrônomo da Universidade de St. Andrews, em um comunicado à imprensa. "Anãs marrons se formam na mesma proporção que estrelas bem sucedidas em aglomerados, então nosso trabalho sugere que há uma quantidade enorme de anãs marrons por aí".

A estimativa mínima é que existam 25 bilhões de anãs marrons em nossa galáxia. Porém, pelo fato delas serem difíceis de serem detectadas - afinal, algumas são muito frias que praticamente não emitem luz infravermelha - esse número sobe muito. O terceiro sistema estelar mais próximo de nós, Luhman 16, é composto por das anãs marrons. Apesar de estarem a apenas 6,5 anos-luz de distância, o par só foi descoberto em 2013. De fato, das 40 estrelas mais próximas, 15 são anãs marrons e todas, exceto uma, foram descobertas neste século. 

Mais estudos a respeito de anãs marrons e estrelas com pouca massa poderiam ajudar a determinar o que faz com que algumas estrelas prosperem e outras falhem. 



[Tradução: Diogo Furlan - no Facebook/Instagram como: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.