Ads Top

O que realmente soa promissor com as seguidas descobertas do Kepler?



O telescópio espacial Kepler é a primeira missão da NASA capaz de identificar planetas do tamanho da Terra em torno de outras estrelas. Na segunda-feira, dia 19 de junho de 2017, cientistas de muitos países se reuniram no Centro de Pesquisa de Ames (NASA) para falar sobre os últimos resultados provenientes da nave espacial Kepler, que incluem a identificação de mais de 200 candidatos a novos mundos! Confira:

219 candidatos a novos planetas:
Campo de visão do Kepler.
O que realmente soa promissor é que todos esses 219 prováveis mundos foram encontrados em um pequeno pedaço do céu, próximo a constelação do Cisne, dentro da Via Láctea, a galáxia em que estamos. Entre 2009 e 2013, o Kepler procurou em mais de 200 mil estrelas por planetas em suas órbitas. Esses 219 novos candidatos a planetas são parte dos mais de 4.000 candidatos e 2.300 planetas confirmados que o Kepler já identificou até agora.

10 desses são mundos parecidos com o nosso.

Dos 219 novos candidatos a planetas, 10 possivelmente são mundos rochosos e terrestres que orbitam sua estrela hospedeira em sua zona habitável - que é a faixa ao redor da estrela onde a água líquida poderia estar presente na superfície de um planeta rochoso.

Planetas pequenos podem ter dois tamanhos

O Kepler nos mostrou a existência de muitos planetas pequenos. Acontece que muitos desses planetas tem cerca de 1,5 vezes o tamanho da Terra ou pouco menores que Netuno. E sobre os "nomes interessantes" dados aos planetas com esses tamanhos? Eles são chamados de Super Terras e mini-Netunos.

Alguns dos novos planetas podem ser habitáveis.

A água é um ingrediente chave para a vida como a conhecemos. Muitos dos novos candidatos a planeta provavelmente terão pequenos núcleos rochosos envolvidos por uma atmosfera espessa de hidrogênio e hélio, onde alguns podem ser mundos oceânicos (cobertos por água). 

Existem outras Terras por aí.

A pesquisa do telescópio Kepler nos permitiu estimar o número de planetas na zona habitável em nossa galáxia. Determinar quantos planetas como os nossos existem é a grande questão que exploraremos a seguir.

A busca por novos planetas continua.

O Kepler continua a procurar planetas em diferentes regiões do espaço. Com o lançamento do Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) e do Telescópio Espacial James Webb (JWST) em 2018, vamos procurar por exoplanetas mais próximos do Sol e estudar a composição de suas atmosferas. Em meados da próxima década, pensamos que será possível capturar imagens diretas de planetas pequenos como a Terra com o Wide-Field Infrared Survey (WFIRST).

*todas as imagens da publicação são meramente ilustrativas.

Fonte: Tumblr NASA

[Tradução: Diogo Furlan  - @difurlan1 no facebook/Instagram]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.