Ads Top

O Hubble observa estrelas anãs marrons muito próximas de nós

Duas anãs marrons em nosso quintal cósmico.
Créditos da imagem: NASA/JPL/Gemini Observatory/AURA/NSF
Às vezes, os mais difíceis de se espionar são os nossos vizinhos mais próximos. nesse caso, estamos falando do sistema Luhman 16 AB [um dos abordados na Série Estrelas], que é o terceiro sistema estelar mais próximo do nosso Sol e só foi descoberto em 2013. Após três anos sendo acompanhado, uma "pilha" de 12 imagens capturadas com o Telescópio Espacial Hubble (HST) confirmou que o sistema é composto por duas anãs marrons - e não há uma terceira companheira, como se suspeitava.

Uma equipe de astrônomos liderada por Luigi Bedin observou as duas estrelas, Luhman 16 A e Luhman 16 B, ao longo de três anos, entre 22 de Agosto de 2014 e 4 de Outubro de 2016. Durante esse período, o HST imageou o sistema 12 vezes (Com uma 13ª "observação" proposta para Agosto de 2018). Usando essas imagens, eles conseguiram determinar vários parâmetros orbitais das estrelas, além de medir com precisão sua distância e procurar por quaisquer exoplaneta em potencial nesse sistema. Os resultados foram aceitos para publicação no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

O Hubble observou o sistema Luhman 16 AB nos últimos 3 anos. Essa imagem representa uma "pilha" de 12 imagens capturadas ao longo desse tempo, demonstrando o movimento das estrelas.
Bedin e sua equipe usaram sua seqüência de imagens do Hubble para observar as duas anãs marrons "passeando" pelo céu. Eles estavam procurando um terceiro corpo no sistema, como um grande exoplaneta, que havia sido indicado pelo movimento das estrelas em observações anteriores com o Very Large Telescope do European Southern Observatory (ESO). 

No entanto, de acordo com o grupo de Bedin, as novas medições do Hubble excluem a presença de um terceiro corpo no sistema que tenha até o tamanho e massa similar a de Netuno, com um período orbital entre um e dois anos. Assim, se o sistema abrigar exoplanetas, eles devem ser menores que Netuno e levar mais de um a dois anos terrestres para orbitar o sistema binário.

Anãs marrons também são chamadas de "estrelas fracassadas" ou "estrelas falidas", porque elas são muito pequenas para sustentar o processo de fusão atômica em seu interior. As vezes, esse tipo de estrela pode fundir um isótopo de hidrogênio conhecido como deutério. Porém, essa fase não dura relativamente muito, o que ocasiona o resfriamento da estrela e consequentemente fazendo com que ela seja escura. 

Os astrônomos sabem que há muito mais objetos com pouca massa no universo do que os de grande massa. Assim, devido ao seu grande número, esses objetos com massa inferior tem muito potencial para que pesquisadores realizem procura por exoplanetas. 

Luhman A e B se co-orbitam a uma distância de cerca de 3 unidades astronômicas (três vezes a distância entre o Sol e a Terra, que é cerca de 450 milhões de km). O sistema binário está localizado a cerca de 6,5 anos-luz de distância do Sol. Somente o sistema Alpha Centauri e a Estrela de Barnard estão mais próximos.

Pelo fato do sistema Luhman 16 AB estar tão perto do Sol, ele é o lugar perfeito para estudar anãs marrons, que são difíceis de se ver porque são pequenas e fracas. A equipe da Bedin planeja continuar seu estudo a respeito das estrelas para melhorar a precisão de seus parâmetros orbitais e procurar exoplanetas cada vez menores, do tamanho da Terra, nesse sistema.


[Tradução: @difurlan1]


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.