Ads Top

Quando a China chegou a Lua e nos mostrou imagens incríveis e surpreendentes, de alta definição, nunca antes vistas

Ao explorar a superfície lunar, o Chang'e 3, explorador Chinês, descobriu um novo tipo de rocha e conseguiu capturar MILHARES de imagens em alta resolução de nosso satélite natural.

Assim, pela primeira vez, você pôde dar uma olhada na superfície lunar como nunca antes graças às sofisticadas câmeras acopladas a bordo do Chang'e 3, um dos mais avançados exploradores lunares da China.


A missão chegou à Lua em 2013, numa região conhecida como Mare Imbrium. A China é o terceiro país na história da humanidade a conseguir realizar um pouso suave na superfície lunar. Antes dela, apenas a União Soviética e os Estados Unidos da América realizaram essa façanha.


A missão aconteceu em 2013, mas apenas em 2015 foi que a agência da China liberou milhares de imagens em alta definição. As imagens, no entanto, não foram exibidas pela mídia ocidental devido ao fato de que a China costuma liberar imagens em um período de um a um ano e meio depois de recebê-las, usando um site escrito em chinês para apresentá-las. Essa, aliás, é a razão pela qual a mídia ocidental não publicou antes as imagens.


Não muito tempo atrás, Emily Lakdawalla, que é membro da Sociedade Planetária, passou semanas pesquisando esse tesouro fotográfico - que tem mais de 45 gigabytes de dados - e apresentou toda essa informação de uma maneira fácil para o mundo inteiro.


"Quando se trata de compartilhar dados da China, a situação é favorável", diz Lakdawalla, que observa que os formatos das imagens são semelhantes aos usados ​​pela NASA e pela Agência Espacial Européia. "Provavelmente seria muito mais fácil se eu pudesse entender a língua."


As imagens são pra lá de fascinantes e ajudaram cientistas de todo o mundo a entender a geologia complexa e misteriosa da superfície lunar, revelando uma rocha lunar completamente nova, não descoberta por missões anteriores da União Soviética e dos Estados Unidos.


"A China está tentando alcançar o topo e mostrar que eles são uma grande potência espacial", diz Kevin Pollpeter, um analista do Defense Group, Inc., filiado à Universidade da Califórnia em San Diego. "Eles também estão contribuindo com conhecimento a respeito da Lua, que não fomos capazes de obter antes."


Pelo fato do site da CNSA ser difícil de navegar - para não mencionar que ele é totalmente em Chinês - a Sociedade Planetária dos EUA repostou as imagens da Yutu e da Chang'e 3 e informações a respeito delas em um formato acessível. 


[Tradução: @difurlan1]


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.