Ads Top

5 maneiras para se encontrar um exoplaneta - Trânsito Planetário


O trânsito ou passagem de um planeta através do disco da estrela pode ser entendida como um tipo especial de eclipse. Em se tratando do sistema solar, visto da Terra, apenas os trânsitos dos planetas interiores - Mercúrio e Vênus - são possíveis de ser observados. Isso acontece por um aspecto lógico: o trânsito acontece quando o planeta passa entre a estrela e o observador. Como no Sistema Solar temos apenas 2 planetas com órbitas mais internas do que a Terra, consequentemente, apenas esses realizam esse evento para os terráqueos. 

Os trânsitos planetários são muito mais raros de acontecer que os eclipses do Sol pela Lua. Em média, há 13 trânsitos de Mercúrio a cada século. Em comparação, os trânsitos de Vênus geralmente ocorrem duas vezes a cada oito anos. 

A tabela a seguir lista todos os trânsitos de Mercúrio de 1901 até 2050. Para obter uma lista mais completa e detalhada, veja Catálogo de Sete Século de Trânsitos de Mercúrio: 1600 CE a 2300 CE.


5 maneiras ou métodos para se encontrar um exoplaneta

Observando oscilações

Velocidade Radial: O método de velocidade radial mede variações na velocidade com a qual a estrela se afasta ou se aproxima de nós. 

Quantidade de planetas descobertos por esse método: 632


Planetas em órbita de estrelas causam oscilações no espaço, o que modifica a cor da luz que os astrônomos observam.


Ela pode ser deduzida através do deslocamento nas linhas espectrais da estrela hospedeira, graças ao efeito Doppler. Esses deslocamentos são induzidos pelo planeta que orbita a estrela, uma vez que ambos orbitam em torno do mesmo baricentro. A velocidade da estrela ao redor do baricentro é muito menor do que a velocidade do planeta (os raios das órbitas). Portanto, as velocidades dos corpos são inversamente proporcionais à massa desses. Mesmo assim, variações de velocidades muito baixas, assim como poucos metros por segundo podem ser detectadas.

Esta é uma das principais e mais bem-sucedidas das técnicas utilizadas por caçadores de planetas. Também é conhecida como "método Doppler". Porém, ela funciona bem apenas para estrelas relativamente próximas, até 160 anos-luz. Para distâncias maiores,  o método Doppler pode ser usado para confirmar as descobertas realizadas através do método de trânsito.


Procurando Sombras

Trânsito: Este método detecta a sombra do planeta quando este transita em frente à estrela hospedeira. O método de trânsito funciona apenas com uma pequena porcentagem de planetas cujos planos orbitais estejam perfeitamente alinhados com nossa linha de visão, porém pode ser aplicado mesmo a estrelas muito distantes. Ele é muito utilizado pelo Observatório Kepler, da NASA.

Quantidade de planetas descobertos por esse método: 2728


Quando um planeta passa diretamente entre sua estrela e o observador, o brilho da estrela diminui (para o observador) em uma quantidade observável e mensurável.


Fotografando

Imagem direta: Astrônomos podem capturar imagens de exoplanetas eliminando a esmagadora luminosidade proveniente da estrela que eles orbitam.

Quantidade de planetas descobertos por esse método: 44



Luz em uma lente gravitacional

Microlente Gravitacional: O efeito de microlente gravitacional acontece quando os campos gravitacionais de um planeta e o da estrela hospedeira agem de modo a ampliar a luz de uma estrela distante que esteja em segundo plano. Para que o efeito ocorra, o planeta e a estrela devem passar quase diretamente entre a estrela distante e o observador. Como esses eventos são raros, um número muito grande de estrelas distantes deve ser monitorado continuamente de modo a permitir a detecção de planetas a uma taxa razoável. Além disso, também não é possível repetir os experimentos que utilizam esse método, devido à raridade com que ocorrem. Este é o método mais promissor para planetas localizados entre a Terra e o centro da galáxia, já que as partes centrais da galáxia fornecem um grande número de estrelas distantes em plano de fundo.

Quantidade de planetas descobertos por esse método: 45


A luz de estrelas distantes é dobrada e focalizada pela gravidade a medida que um planeta passa entre a estrela e a Terra

Movimentos minúsculos

Astrometria: A astrometria consiste no método mais antigo para a busca de exoplanetas, usado pela primeira vez em 1943. Uma certa quantidade de estrelas candidatas foram encontradas desde essa data, mas não houve confirmação em nenhum desses casos, e muitos astrônomos desistiram desse método diante de outros mais bem-sucedidos. O método envolve a medição do movimento próprio da estrela em busca dos efeitos causados por seus planetas; todavia, variações no movimento próprio são tão pequenas que mesmo os melhores instrumentos não fornecem medições confiáveis. O método requer que as órbitas dos planetas sejam aproximadamente perpendiculares a nossa linha de visada; desta forma, planetas detectados por esse método não puderam ser confirmados por outros métodos.

Quantidade de planetas descobertos por esse método: 1


A órbita de um planeta pode fazer com que uma estrela oscile no espaço em relação a estrelas próximas no céu 


Fonte: 1 - NASA

[Tradução e edição: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.