Ads Top

Um objeto distante é encontrado nos arredores do Cinturão de Kuiper

O Observatório ALMA encontrou uma informação interessante enquanto investigava um membro muito distante de nosso Sistema Solar.

Uma impressão artística de DeeDee.   Créditos da imagem: Alexandra Angelich (NRAO/AUVNSF).
Astrônomos revelaram mais informações a respeito de um objeto que está nos confins do Sistema Solar chamado de 2014 UZ224, ou simplesmente DeeDee.

DeeDee é um objeto Trans-Netuniano (TNO) que foi descoberto por uma equipe de astrônomos liderada por David Gerdes, cientista na Universidade de Michigan e autor principal de um artigo no Astrophysical Journal Letters. Gerdes estava utilizando o Telescópio Blanco de 4 metros, no Observatório Cerro Tololo Inter-American para Pesquisas sobre Energia Escura, no Chile, que proveu aos astrônomos um número extraordinário de imagens. Enquanto a maioria dessas fotos são de galáxias distantes, algumas outras mostraram ser sinais de um TNOs. E no meio dessas fotos, 12 delas foram de DeeDee, que é a abreviação de Distant Dwarf.

DeeDee é o segundo objeto TNO mais distante conhecido nos arredores do Cinturão de Kuiper, mas até recentemente não se sabia muito sobre ele. 

Astrônomos conseguiram algumas informações interessantes a respeito de DeeDee utilizando-se do Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA). As informações só foram liberadas recentemente. DeeDee tem 635 km de extensão e pela quantidade de massa presente nesse corpo, ele deve ser esférico, o que o colocaria numa condição de planeta anão, assim como Plutão.

DeeDee está a 92 unidades astronômicas em relação ao Sol. Para completar uma órbita ao redor de nossa estrela, ele leva nada menos que 1.100 anos terrestres. Para clarear melhor a ideia dessa distância, enquanto a luz do Sol leva pouco mais de 8 minutos para chegar a Terra, o reflexo dela em DeeDee leva cerca de 13 horas para vir de lá até a Terra. 

A equipe utilizou as habilidades do ALMA para detectar calor afim de saber qual a temperatura média em DeeDee. Ele congela a -243 °C, de acordo com Gerdes. Além de ser extremamente frio, DeeDee também não é muito reflexivo. Apenas 13% da luz solar que incide nele é refletida. 

Descobrir todas essas informações sobre DeeDee deixa os astrônomos otimistas a respeito da capacidade de detectar objetos distantes e lentos em nosso Sistema Solar, que podem usar algumas dessas técnicas para procurar o Planeta Nove.

"Ainda há novos mundos a serem descobertos em nosso próprio quintal cósmico," disse Gerdes em um comunicado. "O Sistema Solar é um local rico e complexo", completou.


[Tradução: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.