Ads Top

Decifrando a ideia de um Sol como centro do Universo

O que é o centro do Universo? Bem, não é o Sol!

Os seres humanos costumavam ser incrivelmente egocêntricos quando consideravam nosso lugar no universo. Durante muitos séculos, as pessoas consideraram a Terra como o centro de tudo. Isso é algo compreensível se você não sabe que você vive em um planeta. Depois que as pessoas descobriram isso, e que o Sol era uma estrela que a Terra orbitava, então a atenção mudou para o Sol como o possível centro do cosmos.


Nicolau Copérnico, o pai do heliocentrismo. Mesmo que sua ideia de um Sol como centro do universo seja errada, seu trabalho fez com que chegássemos a compreensão do universo que conhecemos hoje. 

Mesmo antes do início da era espacial, quando fomos capazes de enviar câmeras ao espaço que retornaram imagens do nosso mundo, as pessoas descobriram que nosso planeta, como também nossa estrela não estão no meio da ação cósmica.

Hoje sabemos que não existe NENHUM centro do universo. Mas, na época que antecedeu os telescópios, a astronomia observacional não deu muitas pistas sobre a imensidão e composição do cosmos. É razoável, então, que as pessoas olhassem o Sol como sendo o objeto mais importante no cosmos, inclusive, como peça central.

Um dos defensores mais influentes do universo centrado no Sol foi o astrônomo Nicolau Copérnico, que finalmente pôde ver suas ideias publicadas em uma dissertação chamada De Revolutionibus Orbium Coelestium (Sobre as revoluções das esferas celestiais). Sua dissertação foi publicada pouco antes de sua morte.

Ele começou o trabalho alguns anos antes e em 1514 distribuiu um pequeno livro escrito à mão para alguns amigos. Mesmo que nenhum autor seja nomeado na página de rosto, aqueles que receberam uma cópia de The Commentariolus (o Pequeno Comentário) souberam quem o havia escrito. Como precursor de sua teoria de um universo com o Sol em seu centro, o Pequeno Comentário contém sete verdades inquestionáveis universalmente sobre os quais Copérnico baseou suas conclusões.

  • Não há centro no universo.
  • O centro da Terra não é o centro do Universo.
  • O centro do Universo é próximo ao Sol.
  • A distância da Terra para o Sol é imperceptível se comparado com a distância para as estrelas.
  • A rotação da Terra explica a aparente rotação diária das estrelas.
  • O ciclo aparente anual de movimentos do Sol é causado pela Terra que gira ao seu redor.
  • O aparente movimento retrógrado dos planetas é causado pelo movimento da Terra a partir do ponto de vista do observador.
A maioria dos conceitos em De Revolutionibus foi estabelecida por 1530. Em 1533, Johann Albrecht Widmannstetter, um teólogo alemão, estava em Roma e apresentava uma série de conferências que esboçam a teoria de Copérnico. Em 1536, o arcebispo de Capua Nicholas Schönberg escreveu a Copérnico, pedindo-lhe que compartilhasse suas teorias com a comunidade científica. Copérnico ainda achava que não seria uma sábia atitude publicar uma obra que causaria uma forte reação negativa da igreja.


A REVOLUÇÃO COPÉRNICA

Em seu livro, em vez do sistema centrado na Terra baseado no antigo modelo ptolemaico, Copérnico propôs uma Terra que girava e, juntamente com os outros planetas, orbitava em torno de um Sol estacionário central. Essa ideia forneceu uma explicação muito mais simples para o que as pessoas viram acontecendo no céu: a rotação diária dos céus, o movimento anual do Sol através da eclíptica e o movimento periódico retrógrado dos planetas. Curiosamente, Copérnico tinha a opinião bastante forte de que as órbitas de todos os corpos celestes deviam ser círculos perfeitos.

Isso, é claro, não é verdade. Após ele, outros estudiosos passaram muito tempo tentando fazer a teoria de Copérnico funcionar antes de perceber que os planetas estão em órbitas elípticas (em forma de ovo).

COPÉRNICO PUBLICA SEU TRABALHO

De Revolutionibus Orbium Coelestium foi publicadA pela primeira vez por uma gráfica luterana, em Nuremberg, na Alemanha, em 1543. "Diz a lenda" que Copérnico recebeu uma cópia impressa de seu tratado em seu leito de morte em 24 de maio de 1543. Depois de sua publicação, o trabalho foi ridicularizado pela igreja, bem como outros astrônomos. Passou 60 anos para que Johannes Kepler e Galileo Galilei provarem que ele estava (quase) certo.

As teorias de Copérnico foram um grande passo adiante na tentativa de explicar os movimentos aparentes das estrelas, do Sol e dos planetas, mesmo que depois de tudo fora provado que ele não estava completamente certo. Ainda assim, deslocaram a atenção de um universo geocêntrico para um universo centrado no Sol, e esse foi um grande passo.

Sem seu trabalho, a revolução científica poderia não ter se desenvolvido da forma que foi.

Hoje, sabemos que o Sol é o centro do nosso sistema solar, não do universo. Estamos localizados a cerca de 26.000 anos-luz do centro da Galáxia da Via Láctea, que tem cerca de 80.000 a 120.000 anos-luz de diâmetro, e há muitas galáxias no universo.


Fonte: ThoughtCo.

[Tradução: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.