Ads Top

Assim como Saturno, nova teoria sugere que Marte já teve anéis.

E a lua Fobos poderia se tornar anéis no futuro.

A lua Fobos, de Marte, de acordo com essa teoria, pode se quebrar e criar anéis ao redor do planeta.

Marte sempre foi apontado como "o Planeta Vermelho", mas uma nova teoria sugere que Marte pode receber um outro apelido.

Uma teoria recente elaborada por cientistas da Universidade de Purdue, em Lafayete,  Indiana, que foi publicada na revista Nature Geoscience, sugere que detritos espaciais podem ter sido anéis ao redor de Marte. 

David Minton e Andrew Hesselbrock desenvolveram um modelo que afirma que parte dos restos de objetos como asteroides que colidiram com Marte se tornaram anéis. A colisão teria ocorrido há 4.3 bilhões de anos e formado a Bacia Polar do Norte de Marte e parte desse material entrou em órbita, formando, assim, os supostos anéis. 

De acordo com o modelo, os detritos nos anéis eventualmente se afastaram de Marte e se espalharam, onde, então, eles voltaram a se juntar para formar uma lua. Depois da lua ter sido formada, a atração gravitacional entre Marte e a lua teria entrado em jogo e puxado a lua para dentro do limite de Roche, que é a distância onde um corpo (asteroide ou lua) gravitando um planeta é despedaçado através de interações gravitacionais. E mais: esse ciclo poderia ter se repetido por até sete vezes nos últimos bilhões de anos!

O modelo sugere que Fobos atingirá o limite de Roche em 70 milhões de anos, quebrando-se e se tornando um novo conjunto de anéis. 

A teoria também pode explicar os misteriosos sedimentos no equador de Marte, como pedaços de luas do passado que se quebraram.

"Pode-se ter tido pilhas de sedimentos com quilômetros de espessura chovendo sobre Marte nas primeiras partes da história do planeta. Há depósitos sedimentares enigmáticos em Marte e não há nenhuma explicação sobre como eles chegaram lá", disse Minton em um comunicado à imprensa. Agora é possível estudar esse material.

Agora Minton e Hesselbrock planejam focar as pesquisas nos depósitos em Marte ou na dinâmica de anéis anteriores em torno do planeta.



[Tradução: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.