Ads Top

A primeira evidência da formação de um planeta rochoso em um sistema parecido com Tatooine

Uma concepção artística de planetas e detritos orbitando um sistema estelar duplo. Créditos: UCL 

Evidência de detritos planetários rodeando um sistema solar duplo parecido com Tatoonie foi encontrado pela primeira vez por uma equipe de pesquisadores liderada pela UCL.

Publicado hoje na Nature Astronomy e financiado pelo Science andTechnology Facilities Council, juntamente com o Conselho Europeu de Pesquisa, o estudo aponta restos de asteroides quebrados orbitando um sistema solar duplo que consiste de uma anã branca e uma anã marrom a aproximadamente 1000 anos-luz de distância em um Sistema chamado SDSS 1557.

A descoberta é notável por que os detritos parecem ser rochosos e sugerem que um planeta terrestre como Tatooine - a casa de Luke Skewalker em Star Wars - pode existir no sistema. Até agora, todos os exoplanetas descobertos em órbita em torno de estrelas duplas são gigantes de gás, semelhante a Júpiter, e se formam em regiões geladas de seus sistemas.

Em contraste com o material gelado rico em carbono encontrado em outros sistemas de estrela dupla, o material planetário identificado no sistema SDSS 1557 tem um alto teor de metal, incluindo silício e magnésio. Esses elementos foram identificados quando os detritos fluíram de sua órbita para a superfície da estrela, poluindo-a temporariamente com pelo menos 10 ^ 17 g (ou 1,1 trilhões de toneladas) de matéria, equiparando-a a um asteroide de pelo menos 4 km de tamanho.

O autor principal, Dr. Jay Farihi (UCL Phusics & Astronomy), disse: "'Construir' planetas rochosos em torno de dois sóis é um desafio, porque a gravidade de ambas as estrelas pode empurrar e puxar tremendamente, impedindo que pedaços de rocha e poeira fiquem juntos e cresçam para dentro da órbita de dois sóis. Com a descoberta de detritos de asteroides no sistema SDSS 1557, vemos assinaturas claras de "construção" de planetas rochosos através de grandes asteroides que se formaram, ajudando-nos a entender como os exoplanetas rochosos são feitos em sistemas de estrelas duplas".

Em nosso Sistema Solar, o cinturão de asteroides contém os restos da construção dos planetas terrestres Mercúrio, Vênus, Terra e Marte. Assim, cientistas planetários estudam os asteroides para obter uma melhor compreensão de como os planetas rochosos e potencialmente habitáveis ​​são formados. A mesma abordagem foi usada pela equipe para estudar o sistema SDSS 1557.

A descoberta foi uma surpresa total, pois o time supôs que a anã branca empoeirada esta uma estrela solitária. Porém, Dr. Steven Parsons (Universidade de Valparaíso e da Universidade de Sheffield), um especialista em sistemas de estrelas binárias anunciou o sistema duplo. "Conhecemos milhares de sistemas binários semelhantes ao SDSS 1557, mas esta é a primeira vezs que vimos restos de asteroides e poeira. A anã marrom foi escondida pela poeira até que nós realizamos as observações com o instrumento certo", acrescentou Parsons,"Mas quando nós observamos SDSS 1557 em detalhes, nós reconhecemos a força gravitacional sutil da anã marrom sobre a anã branca". 

A equipe estudou o sistema binário e a composição dos detritos através de medições da absorção de diferentes comprimentos de onda de luz (ou espectro), utilizando o telescópio do Gemini Observatory South e o Very Large Telescope, da ESO, ambos localizados no Chile. 

O co-autor, Professor Boris Gänsicke (Universidade de Warwick) analisou esses dados e descobriu que todos eles contaram uma história consistente e convincente. "Todos os metais que vemos na anã branca desaparecerão dentro de algumas semanas e mergulharão no interior, a menos que os detritos estejam fluindo continuamente em direção da estrela. Estremos olhando de forma mais próxima para SDSS 1557 com o Hubble, afim de mostrar conclusivamente que a poeira é feita de rocha ao invés de gelo."



[Tradução: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.