Ads Top

Os lagos de Marte em simuladores

Simulação de um Lago na Cratera Gale, em Marte.

Esta ilustração mostra um lago de água preenchendo parcialmente a Cratera Gale, em Marte, recebendo escoamento de neve derretida na borda norte da cratera. Evidências de canais antigos, deltas e lagos que o explorador Curiosity encontrou nos depósitos sedimentares na Cratera Gale sugerem que ela teve um lago como este mais de três bilhões de anos atrás, enchendo e secando em vários ciclos ao longo de dezenas de milhões de anos.


A Cratera Gale possui 154 km de diâmetro. Esta imagem mostra a vista Sudeste da cratera. A superfície nesta ilustração é a forma atual da área. Três bilhões de anos atrás, a orla teria sido maior e com menos erosão. Uma grande montanha em camadas, Monte Sharp, agora está no meio da cratera Gale. A acumulação de sedimentos em lagos, deltas, córregos e o sopro do vento são aspectos considerados para a formação das camadas que compõem a parte inferior da montanha. Inicialmente, quando a cratera tinha água, deveria ter tido um pico, muito menor do que o Monte Sharp, formando a borda do impacto que escavou a cratera. O pico poderia se parecer como uma ilha no lago.


Esta ilustração incorpora partes de uma visão lateral simulada da Cratera Gale (PIA15292) com base em dados de elevação da High Resolution Stereo Camera (câmera de Alta Resolução Estéreo) instalada na sonda Mars Express, da Agência Espacial Europeia, os dados de imagem a partir da Context Camera, da Mars Reconnaissance Orbiter, da NASA e informações da Viking Orbiter Imagery. A aparência de neve é adicionada como parte da simulação de condições de bilhões de anos atrás. O lago é retratado enchendo a cratera aproximadamente até a elevação onde Curiosity encontrou sedimentos no fundo do lago, no afloramento "Pahrump Hills" na base do Monte Sharp.


[Tradução: @difurlan1; @laviniaestacioo]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.