Ads Top

China está planejando visitar Marte em 2020 e construir primeiro que a NASA uma base lunar.

A China finalmente anunciou que seus planos são de visitar Marte em 2020, além de ser a primeira nação a andar no lado oculto da Lua. 



Em uma conversa por vídeo conferência com a BBC, Wu Weiren, que é um oficial do alto escalão na Administração Espacial Chinesa (CNSA) e que trabalha como chefe das missões a Lua e a Marte, divulgou que a China está trabalhando em uma missão com um robô explorador. “Nós orbitaremos, pousaremos e comandaremos um robô explorador [talvez como o Curiosity] – tudo em uma só missão. Nós poderíamos ter iniciado nossa missão a Marte antes, mas finalmente o país aprovou somente agora”.


O que é mais interessante é que a China também almeja estabelecer uma base na Lua. Wu explica: “Nosso objetivo a curto prazo é orbitar, pousar na Lua e trazer amostras de lá. A longo prazo o objetivo é explorar, pousar e se estabelecer. Nós queremos uma base lunar para ficar por lá por longos períodos e para realizar pesquisas. É um desafio se estabelecer por lá, mas de acordo com pesquisas, deve haver água ou gelo por causa da falta de luz solar. Por isso, gostaria muito de verificar isso”.


Isso se parece com o filme “Perdido em Marte”, que deixou uma forte impressão na China. Wu também disse que a China está muito esperançosa em cooperar em cooperar com as agências espaciais de outros países, como a NASA, nos EUA – bem como no filme Perdido em Marte, onde a agência espacial chinesa apresenta seu foguete espacial Taiyang Shen, que serviu para auxiliar no resgate do astronauta da NASA Mark Watney, que fica preso em Marte quase que sem recursos.

Mas há um obstáculo nessa situação toda: o congresso norte-americano já aprovou uma lei que proíbe os EUA trabalharem em parceria com a China, devido ao elevado risco de espionagem.
Wu disse: “Nós gostaríamos de cooperar com os EUA, especialmente no que diz respeito a exploração do espaço e da Lua. Nós temos pedidos muito para os EUA se livrarem dessas restrições afim de que os cientistas de ambos os países possam trabalhar em colaboração na exploração espacial”.

De acordo com o canal Reuters, o oficial do alto escalão da Agencia Espacial Chinesa, Xu Dazhe, disse em uma conferência no dia 22 de Abril que Perdido em Marte apresenta a ideia de que os EUA não poderiam ser adversários no trabalho com a China. Xu disse: “Quando eu vi o filme norte-americano Perdido em Marte, que prevê a cooperação China-EUA a respeito de uma missão de resgate em Marte, em circunstâncias de emergência, aparentou que os cientistas americanos esperam muito uma cooperação conosco”.

“Contudo, é muito lamentável que, por razões que todos conhecemos, atualmente exista entraves para essa cooperação. Eu acredito que nesse aspecto a China é muito mais receptiva e espero que nossos amigos americanos possam tomar ciência disso”.

Como alguns podem pensar, isso não é uma corrida, por que, na verdade, tudo isso será um grande passo na história da humanidade, independentemente de quem vai ser o primeiro a chegar lá.


Fonte: http://www.physics-astronomy.com/2016/04/blog-post.html#.V9f3V00rKUl


[Tradução e adaptação: @difurlan1]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.