Ads Top

O que é largo e azul e pode se envolver em torno de uma galaxia inteira?



Uma miragem de Einstein Ring!

Próximo ao centro dessa imagem, a gravidade de uma galáxia do grupo Luminous Red tem distorcido gravitacionalmente a luz que vem de uma galáxia muito mais distante. Normalmente, tais distorções de luz resultam em duas imagens discerníveis da galáxia distante, mas nessa imagem o alinhamento óptico é tão preciso que a galáxia de fundo é distorcida formando uma ferradura de cavalo, quase formando um completo anel. 


Deis que tal efeito de Lente Gravitacional (Lensing Effect) foi completamente previsto em detalhes por Albert Einstein em 1936, anéis como este ( http://apod.nasa.gov/apod/ap080728.html ) são agora conhecidos como Einstein Rings (também como Lentes Gravitacionais). 


Apesar de a galáxia LRG 3-757 ter sido descoberta em 2007 pelo Sloan Digital Sky Survey, esta imagem foi feita por uma observação de acompanhamento de longo prazo pela Câmera de Largo Campo 3 do telescópio espacial Hubble, no dia 21 de Dezembro de 2011. Fortes lentes gravitacionais como a da galáxia LRG 3-757 são mais do que excêntricos. As múltiplas propriedades delas permitem astrônomos determinarem a quantidade de massa de matéria e matéria escura da galáxia do primeiro plano.


Um buraco negro localizado precisamente entre você e uma galáxia, cria uma miragem onde você vê um anel perfeito ou, se o buraco negro não estiver tão precisamente alinhado entre você e a galáxia, você vê duas imagens separadas da mesma galáxia.


Um caso bastante conhecido é o da HATLAS J090311.6+003906 (Também conhecida como SDP.81) onde há uma forte lente gravitacional, causada pela massa de um corpo galáctico, em que separa a imagem de uma galáxia de segundo plano em duas partes. Para informações técnicas eu recomendo este artigo em PDF: https://arxiv.org/pdf/1503.02652.pdf


O SDSS (Sloan Digital Sky Survey) é um telescópio terrestre com uma abertura de 2,5 metros que usa sensíveis detectores eletrônicos de luz para sistematicamente mapear um quarto do céu, criando um catálogo de objetos celestes.


Wide Field Camera 3 (Câmera de Largo Campo 3) foi instalada no dia 11 de Maio de 2009, durante a quarta missão de serviço do Shuttle, como uma substituta para a Wide Field Planetary Camera 2.


Fonte: http://apod.nasa.gov/apod/ap111221.html


[Tradução, adaptação e adição: @jonathantorres19]

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.